Campus Inc agora é Company Hero! Nova marca e soluções para sua empresa, sempre simples, online e sem burocracia.

Freelancer a empresário: 6 passos para o sucesso

6 passos de quem passou de freelancer a empresário e teve sucesso com sua empresa. Como crescer rápido e ter novos clientes e funcionários
 Mariane Pereira  |      21/02/2020Post 9 - Capa.jpg

Parte do time da Oficina de Impacto: Letícia Sakata, Marina Franco, Luciene Antunes, Claudia Bortolotti e Thalita Pires


Freelancer ou “freela”, como muita gente fala, já é um formato de trabalho consolidado no mundo todo há bastante tempo, sendo uma aposta de muitos profissionais e especialistas ao entrar no mercado, ou mesmo os que se consolidam em suas áreas trabalhando por demandas e clientes pontuais, o famoso “sob demanda”. Mas e quando bate aquela vontade de crescer, que passos você deve dar para passar de freelancer a empresário e ter uma empresa de sucesso?

É aí que muitas dúvidas surgem, e alguns profissionais se sentem confusos sobre o que é necessário para mudar o status de “uma empresa de uma pessoa só” para gestor de 10 ou mais pessoas trabalhando com você. Essa é a história da Luciene Antunes, CEO da Oficina de Impacto, agência de comunicação para negócios de impacto social fundada em 2017.

Acompanhe os 6 passos que ela seguiu para entrar na profissão “empresária” e ter seu negócio de sucesso:

1. Atenção às oportunidades e novos caminhos na carreira

Ter um objetivo claro de onde chegar não é tarefa fácil para muitos profissionais. O caminho mais comum na carreira da maioria das pessoas é experimentar várias áreas de atuação e “ir se encontrando”. E não foi diferente com a Lu, que veio de Santos para São Paulo/SP e se formou em Jornalismo pela USP em 2006. A faculdade direcionava bastante para jornalismo impresso, mas antes de se formar ela já não se identificava muito com as opções tradicionais do mercado.

freelancer-a-empresario-passos-sucesso

Luciene Antunes, CEO da Oficina de Impacto   (Fotos: Leo Orestes/Oficina de Imagem)

“Não comecei na grande imprensa como eu gostaria. Fiz estágio na própria universidade, depois comunicação interna corporativa em um grupo de empresas, e não me identifiquei com isso, achei muito chato… até trabalhei em um jornal de sindicato! Já estava aflita por não entrar na grande imprensa, achava que precisava entrar muito rápido ou não entraria mais… Aí comecei a fazer freelas para grandes revistas e jornais do país e em 2007 fui contratada pela revista EXAME. Trabalhei lá até 2012, e meus últimos 10 meses de Editora Abril foram na Exame PME, focada em pequenas e médias empresas. Foi ali que comecei a me apaixonar pelo tema de empreendedorismo e passei a me interessar por startups.”


Priorizar essas atitudes pode abrir muitas portas para novos jobs ou até um trabalho fixo. Foi o que a Lu fez em um dos trabalhos como freelancer.


“Conheci os gestores do Veduca, uma startup de educação, quando estava trabalhando em uma matéria de capa da PME sobre oportunidades de negócios voltados a resolver grandes problemas do país. Fiquei com os temas educação e cidades. Achei a proposta incrível, mas eles ainda não eram notícia, eram só uma ideia boa. A matéria de capa saiu — sem o Veduca — e, depois de alguns meses, fui almoçar com o fundador. Eles já haviam recebido um aporte e começavam a formar um time. Depois do almoço escrevi um e-mail perguntando se podia me candidatar para as novas vagas. Assim saí da grande imprensa para ser a primeira funcionária de uma startup, e considero que ali foi quando eu comecei a empreender.”

2. Encontre um propósito só seu

Cada vez mais o mercado exige de muitos profissionais a super especialização em diversas ferramentas e tendências, e o trabalho sob demanda exige ainda mais de um freelancer essa atualização constante nas melhores práticas da sua área.

O segredo para passar de freelancer a empresário, dar os passos certos com a empresa e conquistar novos clientes é aliar as habilidades técnicas que você já domina a um propósito só seu.

“Eu percebi que não era exatamente apaixonada pelo jornalismo, marketing, SEO e várias outras coisas que aprendi com o tempo… O que me motivava mesmo era ver os resultados dos meus trabalhos. Ver que estava impactando de forma positiva na vida das pessoas, e queria me conectar a clientes que realmente causavam um impacto positivo também.”

A Lu trabalhou durante três anos no Veduca e depois quase dois anos em outra startup, a Construct App, que resolvia problemas no setor de construção civil. Com essas experiências, fez sua transição de carreira e se especializou em comunicação estratégica, branding e marketing digital, áreas que sempre rendiam freelas e pedidos de ajuda de outros colegas empreendedores.

“Em 2015, depois de passar por um processo de coaching de carreiras, fui me descobrindo empreendedora e os freelas nessas áreas aumentaram, até que encontrei a inspiração para criar meu negócio próprio.” 

3. Inspire-se em outros empreendedores

Já pensou que seus clientes podem ser muito mais que um trabalho pontual, mas uma ótima fonte de inspiração? Indicações valem ouro para quem sabe aproveitar bem seu networking, e um freelancer não pode pensar diferente.

Estar próximo de outros empresários inspiradores, além de gerar oportunidades de novos trabalhos para você, pode abrir sua cabeça para novas ideias e criar um caminho mais claro para levar sua empresa ao próximo nível e ser “mais de um”.

“Na época em que pensava sobre como criar meu próprio negócio, um amigo me indicou para ajudar sua esposa, que tinha uma startup e que precisava investir em comunicação… Assim conheci a Melissa Gava, fundadora da startup Mediação Online. Fiquei inspiradíssima, uma mulher incrível, que criou um negócio sem ser do mundo de startups. A Melissa veio do Direito e criou a primeira plataforma do Brasil em mediação de conflitos, e uma das poucas do mundo nessa área. Ela foi inspiração para me desafiar e escolher somente os clientes que faziam sentido para o meu propósito. E foi assim que a Mediação Online se tornou a primeira cliente da Oficina de Impacto!”

Você já conheceu um pouco da história da Lu sobre como foi a transição de freelancer a empresário e os passos para ter sucesso com a Oficina de Impacto, chegou o momento de entender como escalar seu negócio. Só não perca as dicas:

Aproveite ao máximo os contatos e oportunidades que um trabalho como freelancer pode abrir para você

Seja ousado, busque entender mais do negócio dos seus clientes

Crie relacionamento e inspire-se com seus melhores clientes, não se prenda só aos trabalhos pontuais

Agora, acompanhe com a gente o passo a passo bem prático que a Lu seguiu para realizar o sonho de sucesso da empresa dela:

freelancer-a-empresario-passos-sucesso

4. Abra a empresa com confiança

Ter profissionais de confiança para abrir seu CNPJ pode parecer “exagero”, mas faz toda a diferença para começar do jeito certo e não errar na parte burocrática. Se você ainda não tem um CNPJ, vale procurar serviços de contabilidade especializada em comércio ou indústria que outros clientes já tenham avaliado.

Além de pedir indicações, pesquise na internet comentários e avaliações de outros clientes para tomar a decisão correta e escolher profissionais que seguem à risca o que precisa ser feito.

Se a sua área de atuação é em Serviços, uma opção para a transição do CNPJ da sua empresa é oEscritório Virtual, serviço que te garante mais credibilidade com novos clientes: você registra sua empresa em endereços comerciais e fiscais bem localizados, sem precisar gastar com infraestrutura física de um espaço fixo para você e seus funcionários.

Muitas opções de Escritório Virtual nas principais cidades do país também disponibilizam salas de reunião por hora e administração de correspondências conforme sua necessidade, por exemplo.

5. Branding!

A Lu contou pra gente que o Branding foi prioridade para criar a Oficina de Impacto desde o primeiro dia. “Eu quis primeiro estruturar o que a gente ia fazer, quem eram os clientes ideais, formei uma rede de contatos com quem eu conversava sempre e a gente criou um documento: quem somos, valores e objetivos.” 

Veja o passo a passo que a Lu contou pra gente para estruturar o Branding do seu negócio:

Entenda de verdade seu público e concorrentes

Desenhe a “carinha” e características de quem são seus clientes ideais, como pensam, quais problemas eles possuem e quais os diferenciais do produto ou serviço que você oferece para essas dores em relação a outras empresas do mercado.

Uma mudança significativa na mentalidade de um freela para um empresário de sucesso é escolher bem seus clientes e aprender a dizer “não” para os que não fizerem sentido, tanto para o momento da sua empresa quanto para cumprir seu propósito, desafio pelo qual a Lu conta ter passado:

“No começo tive medo de negar clientes, sabe… é natural, você não sabe se pode se dar ao luxo de negar, se está perdendo oportunidades ou se o cliente ideal que você definiu chegará logo para fechar negócios com você. Mas se você planeja bem seu propósito e branding, eles chegam. Em poucos meses foram chegando e chegando!”

Tenha objetivos claros

Defina entre 3 e 5 objetivos de negócio para pelo menos um semestre e tenha metas a curto, médio e longo prazo, tendo sempre em vista seu propósito.

Tenha uma marca e identidade visual únicas para sua empresa

Essa é uma etapa importante! Contratar designers especialistas que façam um serviço de qualidade é essencial para que você tenha logo, cores e padrões gráficos que conversem com seu negócio de forma consistente, sem correr o risco de ser necessário rever a identidade da empresa em pouco tempo. 

Pedir indicações é uma opção, ou pesquisar em plataformas onde você possa ver outros serviços realizados pelos profissionais, filtrar por preço e checar avaliações de clientes anteriores para tomar a melhor decisão.

6. Planeje a presença digital da sua empresa

Não é segredo que estar na internet é obrigatório para qualquer negócio, mas ter uma presença digital estratégica é um trabalho constante e exige muito foco de quem entende da área de marketing e comunicação. 

Mesmo que, como freela, você tivesse seus canais de divulgação online, fazer a transição para perfis de uma empresa é importante para não misturar sua imagem pessoal com a do seu novo negócio. Veja um checklist dos passos para garantir uma presença digital coerente:

Tenha um site clean e objetivo

Na dúvida sobre a estrutura, não hesite em contratar alguém que desenvolva uma versão clean e objetiva do seu site com uma página única, que é a tendência de muitos sites atuais. Priorize incluir informações diretas sobre a sua empresa, produtos, serviços e cases ou avaliações autorizadas por clientes, e aproveite todas as informações da fase de Branding, mesclando com imagens e seus contatos (sempre atualizados!).

Tenha mídias sociais sempre atualizadas

Milhões de pessoas usam as redes sociais como mecanismo de busca de fornecedores e opções de produtos e verificam perfis de empresas para visualizar possíveis reclamações ou elogios de clientes. Concorda que não pode deixar oportunidades passarem com canais da sua empresa desatualizados ou até inexistentes? 

Pesquise prestadores de serviço especializados na gestão de mídias sociais, capacitados para criar conteúdos consistentes relacionados ao seu negócio, com a frequência e formato adequados para cada canal.

O que achou das dicas para fazer a transição entre freelancer e a carreira “empresário”? Compartilhe esse texto nas redes sociais e divida sua experiência com a gente e outros empreendedores!

mariane
Mariane Pereira
Head de Marketing - Company Hero